ANÁLISE DO GRAU DE SATISFAÇÃO NO TRABALHO EM EMPRESAS DA REGIÃO CENTRAL DO ESTADO DE RONDÔNIA

  • Geva Franco Uchoa Nery Faculdade UNEOURO
  • Ronaldo Helfenstein
##semicolon## Satisfação, Trabalho, Empregados

Resumo

O objetivo deste trabalho é analisar o grau de satisfação das pessoas no trabalho. A discussão teórica encontrou os modelos de Walton (1973) e Siqueira (1995) que foram adaptados e reunidos num mesmo instrumento de levantamento de dados. Essa adaptação resultou em seis dimensões e 19 critérios de análise da qualidade de vida e satisfação no trabalho. Quarenta e sete pessoas de empresas privadas, instituições públicas e do terceiro setor participaram da pesquisa. Os resultados mostram que os fatores mais negativos são oportunidades no trabalho e salário justo e adequado. Os fatores positivos são trabalho e vida e integração social no trabalho.

Referências

[1] WALTON, R.E. Quality of working life is it? Slow Management Review, 1973.
[2] SIQUEIRA, M.M.M. Antecedentes de comportamentos de cidadania organizacional: Análise de um modelo pós-cognitivo. Tese de Doutorado. Instituto de Psicologia Universidade de Brasília, 1995.
[3] SIQUEIRA, M.M.M. Satisfação no Trabalho. In: M.M.M. Siqueira (Org.). Medidas do comportamento organizacional. Porto Alegre: Artmed, 2008
[4] LOCKE, E.A. The Nature and Causes of Job Satisfaction. In: Dunnette, M.D., Ed., Handbook of Industrial and Organizational Psychology, 1976
[5] SPECTOR, Paul E. Psicologia nas organizações. São Paulo: Saraiva, 2003.
[6] BERGAMINI, Cecilia Whitaker. Motivação nas organizações. 5. ed. São Paulo: Atlas, 2008.
[7] PEREIRA, Orlindo Gouveia. Fundamentos do Comportamento
Organizacional. Porto Alegre: Artmed, 2004.
[8] ZANELLI, José Carlos; BORGES-ANDRADE, Jairo E.; BASTOS, Antônio V. B. Psicologia, organizações e trabalho no Brasil. Porto Alegre: Artmed 2004.
[9] OLIVEIRA, L. T.; ZAMBERLAN, C. Satisfação no trabalho. Anais Jornada de Pesquisa Ulbra Santa Maria. Santa Maria, 2006.
[10] BOWDITCH, James L.; BUONO, Anthony F. Elementos do comportamento organizacional. São Paulo: Pioneira, 1992.
[11] ROBBINS, S. P.; JUDGE, T. A.; SOBRAL, F. Comportamento organizacional: teoria e pratica no contexto brasileiro. 14. ed. São Paulo: Pearson, 2010.
[12] MOSCOVICI, Fela. Desenvolvimento interpessoal: treinamento em grupo. 12. ed. Rio de Janeiro: José Olympio, 2002.
[13] HENNE, D.; & LOCKE, E. Job dissatisfaction: what are the consequences? International Journal of Psychology, 1985
[14] RAHMAN, M.; & SEM, A. K. Effect of job satisfaction on stress, performance and health in self-paced repetitive work. Int. Arch. Occup. Environ. Health, 1987.
[15] ZALEWSKA, A. M. Achievement and social relations values as conditions of the importance of work aspects and job satisfaction. Int. Occup. Saf. Ergon, 1999.
[16] O’DRISCOLL, M. P.; & BEEHR, T. A. Moderating effects of perceived control and need for clarity on the relationship between role stressors and employee affective reactions. The Journal of Social Psychology., 2000.
[17] FONSECA, João José Saraiva da. Metodologia da pesquisa científica. Ceará: Universidade Estadual do Ceará, 2002.
[18] GIL, Antônio Carlos. Como elaborar projetos de pesquisa. 4. ed. São Paulo: Atlas, 2008.
[19] RUEDA, FABIAN XAVIER. Qualidade vida e satisfação no trabalho: Relação entre as escalas que avaliam os constructos. Universidade São Francisco. São Paulo. 2013.
Publicado
2017-12-15
Seção
Artigos Originais